01 setembro 2008

Hoje é um novo dia, de um novo tempo que começou.

Enfim...

Estou super cansada. Ontem (31) foi aniversário do meu amigo de fé, irmão camarada Filipe. (Parabéns!!)

E hoje, é meu aniversário. (Parabéns pra mim!)
Meus queridos 18 anos chegaram. Aiai...

Até quanto tempo ainda irei ficar feliz com isso?

Creio que desde dos 12 que espero anciosamente meus 18 anos. Todas as pessoas que já passaram por essa data sempre me disseram que eu iria me arrepender de esperar tanto por isso. Porém tem tanta coisa que eu penso diferente de uma maioria esmagadora. Que é bem capaz que eu não me arrependa de ter esperado tanto.

Amanhã, também, finalmente...
Vamos sair né ?

Torçam pra tudo sair bem...

.medo.

(L)

Voltei a escrever por que senti saudade.

Geeeeente.
Pausa pra descanso...
Até que parei algumas infinitas vezes aqui na frente do PC, porém, sempre pra fazer algo, e senão, não tinha forças mentais suficientes...

Semana passa teve na faculdade a 6ª Semana de Integração Universidade Sociedade. Eu e algumas meninas lá da minha sala nos inscrevemos como voluntárias da Assessoria de Comunicação (Assecom) da facul. ^^

Tipo, todo dia íamos à Assecom, buscávamos uma pauta e tínhamos que ir cobrir algum evento e depois escrever a matéria, que era editada devido ao nosso 1º, mas super feliz período. Foi cansativo, mas muitoooooo legal. Cada vez mais, a certeza de que não poderia fazer outro curso aumenta.

E aí embaixo estão às três matérias que escrevi para o Boletim UNICAP.

Minicurso de Desenvolvimento Regional e Urbano

Por Érica Neves


Como parte da 6ª Semana de Integração da Católica, ocorreu o minicurso Desenvolvimento Regional e Urbano, ministrado pelos professores do curso de Economia da Universidade Ana Cláudia Arruda e Dinilson Pedroza. As aulas tiveram como objetivo salientar o pensamento crítico e reflexivo sobre a economia do espaço urbano, seu desenvolvimento e tendências.

No primeiro encontro, a professora Ana Cláudia fez uma abordagem mais teórica. Explanou sobre os autores clássicos do pensamento econômico regional e a teoria de desenvolvimento com ênfase nos fatores de aglomeração.

Já a aula de encerramento, na quinta-feira (28), teve um direcionamento mais prático. O professor Dinilson analisou as experiências e problemas regionais e internacionais, desenvolvendo a temática em torno da Sudene. Assim, os participantes tiveram uma análise sobre as experiências práticas da Economia Regional. “Gostei muito do minicurso. Principalmente da segunda aula, por que levou muito mais para o nosso dia-a-dia”, disse a estudante de Economia da Católica, Mariana Meira.

Pró-reitor Acadêmico lança livro na 6ª Siucs

Por Érica Neves e Mayara Spoladore


Na noite desta terça-feira (26), dentro da programação da 6ª Semana de Integração da Católica, foi lançada a 2ª edição do livro “Em Toda Parte e em Nenhum Lugar: A Formação Pedagógica do Professor de Filosofia”, do Pró-reitor Acadêmico, professor Junot Cornélio Matos. O lançamento ocorreu no auditório do bloco B, às 20 horas, logo após a abertura da 29ª Semana de Filosofia.

O livro, resultado da tese de doutorado do professor Junot, aborda a formação pedagógica dos professores de Filosofia. Segundo ele, “a educação tem que ser sedutora. E, para isso, os professores têm que ser competentes, ou seja, capazes de seduzir os alunos a se interessarem por sua disciplina.”

Para embasar a sua tese, o Pró-reitor utilizou vários recursos históricos, entrevistas e artigos publicados. Hoje, o livro serve de base para várias outras pesquisas.

Minicurso aborda estudo sobre leveduras

Por Érica Neves e Mariana Barros


Nessa segunda-feira (25) teve início o minicurso de “Mapeamento, Quantificação e Identificação Molecular de Leveduras de Processo e Contaminantes de Fermentação Alcoólica Industrial e sua Interferência na Bioprodutividade”, ministrado pelos professores João Assis Scavuzzi Menezes e Benereuza Tavares Ramos Valente Brasileiro.

O objetivo do curso é a aplicação dos recursos genéticos como ferramentas de monitoramento industrial. Além disso, quem compareceu pôde adquirir conhecimentos acadêmicos sobre o mapeamento, quantificação e identificação das leveduras, popularmente conhecidas como “fungo da cerveja”, e a utilizá-las de forma adequada nas indústrias.

O minicurso foi aberto ao público em geral. Entre eles, encontravam-se alunos de biomedicina e biologia. “Achei super legal o fato dos minicursos serem aberto ao público” disse, a estudante de Biomedicina da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Najia Freire, que soube da 6ª Semana de Integração, através de um amigo que cursa Fisioterapia na Católica. A atividade continua na próxima quarta-feira (2) das 18h às 22h, na sala 824 do Bloco B.

20 agosto 2008

Amando muito tudo isso.

Cara a facul é algo sensacional...
Tipo...
Peguei elevador com Ariano Suassuna. Tive um palestra com Francisco José e talvez tenha uma com Sonia Bridi.. tipo, baba caindo, olhos brilhando.





Raissa, Eu, Francisco José e Mayara. (L) /baba *2

Foto: Gabriela Alcântara

05 agosto 2008

Guilherme Arantes - Coisas do Brasil

Foi tão bom te conhecer, tão fácil te querer
Triste não te ver por tanto tempo
É bom te encontrar, quem sabe feliz
Com a mesma alegria
De novo
Mais uma vez, amor
Te abraçar, de verdade
Há sempre um novo amor
E uma nova saudade
Coisas do Brasil, coisas do amor

Luzes da cidade acendendo o fogo das paixões
Num bar à beira-mar
No verde-azul do Rio
De Janeiro


Por incrível que pareça já estou sem tempo, mas contarei as novidades em breve.
Porém no dia 4 indo para minha primeira aula, ouvi essa música...
E me lembrei de "você".. incrível como fazia tempo que não me pegava pensando em "você"...
Espero que esteja bem.

Sempre sua.
Sempre meu.
Sempre nosso.

04 agosto 2008

O início definitivo de um sonho.

Há 8 anos, eu era uma menininha, tinha 10 anos e brincava de boneca, coisa que fiz acho que até os meus 12, 13 anos... Não era como as meninas de 10 anos de hoje em dia, admito com orgulho que não era mesmo.

Sempre estudei à tarde, e sempre dormi tarde. Amaaaaaaava o programa do e tentava assistir sempre! Acho que, também, gostava de novela. Na época novela das sete ainda dava pra criança assistir, acho eu... Sei que quando começava o jornal eu pulava fora! Deteeeeeestava com todas as minhas forças...

Até que um dia minha mãe teve a brilhante idéia:
- Você só vai assistir , se assistir o Jornal! =O
- Como assim ??????
Ela sabia o quanto eu detestava jornal, mas, "Você está crescendo, e você precisa se informar!"
, eu assistia com a pior cara do mundo a droga do jornal... meeeu eu rezava pra aquilo terminar, quando a menina do Jornal dizia "Boa Noite", eu respondia "Só se for pra você.."

Porém, contudo...
A minha chatice com a tal simpática menina, foi diminuindo... Acho que na semana seguinte fiquei curiosa em saber qual seria o nome dela. Sim, até então eu não tinha parado pra prestar atenção nisso, o que eu realmente queria era que o Jornal terminasse.

"Ela, era ela no centro da tela..." Ana Paula Padrão.
Comecei a responder o "Boa noite", comecei a não mais assistir o Jornal com cara feia. Comecei a gostar daquela simpática moça que eu via todos os dias. Quando finalmente me acostumo com a figura... ela some! Como assim Bial ?!
Ah! Detalhe... Não assistia outro jornal. Só assistia Jornal da Globo.

Nisso, [lembrei perfeitamente agora da cena... Sabe? Mini flash back...] estava eu
no meu quarto, meu pai tomava café na sala e minha mãe passava roupa... quando ouvi ligeiramente o nome Padrão... corri desesperada pra sala, mas não consegui ver o que era... olhei a hora e me prontifiquei de no dia seguinte assistir o jornal.
Estava lá, eu, assistindo Jornal Nacional... E quando vejo.. Ana Paula Padrão no Afeganistão! Fiquei desesperada:
- MÃE ELA SE MUDOU PRA LÁ =O
- NÃO ÉRICA.. ELA FOI FAZER UMA MATÉRIA..

Desde então tudo mudou...
Em setembro de 2000, no meu aniversário, meu pai me deu meu computador! E eu fui saber mais sobre a Ana [notou a mudança de tratamento?]...

Fiquei completamente apaixonada, por ela, pelo o que fazia, pela vida que tinha, por todas as etapas que tinha passado até chegar à bancada do jornal. Comecei a andar com 11 anos de sapato fechado, roupas mais sérias... tinha direcionado minha vida ao jornalismo, era isso que eu queria pra mim.

O tempo foi passando, e como toda menina, fui virando adolescente e mudando as paixões, não era mais obcecada pela Ana [Sim fui obcecada por ela... eu chorava se não assistia o jornal e dormia com uma foto em baixo do travesseiro... lala*], era apaixonada por um menino... mas nunca a tirei do meu pedestal, estavam lá no primeiro patamar: Ana, o cara de quem eu gostava e minha mãe. Foi uma barra quando ela saiu da globo... =S kkkkkkkkkkk chorei a tarde inteira em cima das minhas revistas com reportagens sobre ela.... [ a tarde inteira de verdade...] era como se meus projetos tivessem ficado pela metade....

Mas....
Hoje passaram 8 anos...
E eu continuo amando a Ana...não sou mais obcecada nem por ela, nem pelo cara, nem por ninguém.

Mas algo que eu nunca mudei, foi a escolha que fiz naquela semana em que minha mãe teve a brilhante idéia, e a moça simpática disse "Boa noite".
Hoje, dia 4 de agosto de 2008, eu finalmente irei começar a escolha que fiz a 8 anos atrás...
Hoje eu começo a fazer o curso de Jornalismo.
Hoje eu começo um sonho...





•Editado por mamãe e Su.

01 agosto 2008

Não sei um título, só sei que sinto...


Se o amor quiser voltar
Que terei pra lhe contar
A tristeza das noites perdidas
Do tempo vivido em silêncio
Qualquer olhar lhe vai dizer
Que o adeus me faz morrer
E eu morri tantas vezes na vida
Mas se ele insistir
Mas se ele voltar
Aqui estou sempre a esperar

Vinicius de Moraes ♯♬♮

31 julho 2008

The Dark Knight










O sentimento é de que Gotham finalmente tem o herói que merece e que precisa. Batman vive e eu acredito nele.






-Aplausos-
-Incrível-
-Muito bom-

30 julho 2008

Que vontade de ficar com você... ♪

(...)

Ai, que vontade de ficar com você
Em uma palavra só queria dizer
Eu te "adoro", te "adoro", te "adoro"

Quero falar olhando no seu olhar
E dar um fim nessa saudade que está
Queimando, queimando, queimando.

29 julho 2008

. mensagem pra você

Quando ele mente Não sei se ele deveras sente O que mente para mim Serei eu meramente Mais um personagem efêmero Da sua trama... Eu não sei Se ele sabe o que fez Quando fez o meu peito Cantar outra vez... Talvez nem me queira bem Porém me fez um bem E fim.
Beijos, Érica.






Adaptado da música Ela Faz Cinema - Chico Buarque

27 julho 2008

Voltando a sentir saudade?

- Ficamos de nos ver no dia seguinte, não? Já passam quase dois meses...
- É eu sei, desculpe. Mas no dia seguinte eu resolvi procurá-lo mais uma vez...
- Hmm. E então?
- Não deu em nada. Mandei uma mensagem, depois liguei e nada.
- E por que não voltou aqui?
- Eu não sabia o que dizer. Estava chateada, ele não quis me atender, não quis retornar e eu continuava lá a pensar nele.
- Então por que voltou agora?
- Após exatamente um mês nós nos falamos.
- Quem ligou pra quem?
- Eu de novo, claro! Chegaram algumas informações e fiquei preocupada com ele.
- Então, você ligou?
- Não. Mandei mais uma mensagem. Já lhe disse sou melhor com palavras escritas... Mandei mais uma mensagem, mas com um pouco de apelação dizendo que achava que ele não queria falar comigo, mas que pelo menos me dissesse se ele estava bem.
- Aí ele ligou?
- No dia seguinte, fiquei desesperada, tinha ensaiado mil textos, e quando tentei dizer um “A” ele desengatou a primeira e não parou.. Ai! O senhor não imagina como foi bom falar com ele, eu esqueci todo o meu texto, não tinha mais palavras.
- Então vocês estão juntos?
- Que nada.
- Então o que houve?
- Bem naquele dia nos falamos duas vezes. Depois nos falamos na quinta da mesma semana, que foi o mais impressionante. Mandei uma mensagem só por mandar, tinha certeza absoluta que ele não iria ligar, mas ele ligou. Conversamos mais um pouco e fiquei muito feliz. Desde então não nos falamos mais, faz duas semanas, porém estou incrivelmente bem.
- Oras, temos um progresso aqui então?
- Acho que sim. Desde nossa última consulta pensei muito sobre tudo aquilo, dias após conversei muito com um amigo, e me fiz mil questionamentos. Não tinha como sentir saudade dele sem ter sido bom. Parei pra lembrar vários “momentos” em que estávamos juntos, e não era ruim. Talvez não fosse o que eu esperava, mas não era ruim. Comecei a perceber que não tínhamos tempo, nem local adequado pra ficarmos sem problemas (pressa). Por pouco tempo que possa parecer, do ano passado pra cá mudei bastante, em vários sentidos. Não teria mais receio de certas coisas que talvez tivesse tido, nem mais tanto pudor.
- E que conclusão você tirou disso tudo?
- Não tirei bem conclusões, mas acho que entendi vários pontos de interrogações. Não posso mudar o espaço de tempo que existe entre nós dois, porém, acho que agora talvez me enquadrasse melhor no espaço que ele se encontra. E entendi outra coisa também! Ele espera o meu espaço de tempo. Não que ele seja bonzinho, mas ainda lhe resta um pingo de juízo. Porém as coisas são diferentes agora. Mas ele não tem como adivinhar, mas também não tenho como lhe mostrar.
- E o que você vai fazer?
- Tenho pensado muito nisso também. Estava disposta a correr atrás dele descaradamente. Mas... estou muito mais tranqüila que antes. Sei lá o porquê. Mas acho que ele vai me enrolar até o meu espaço de tempo se enquadrar ao dele, se essa for realmente a desculpa dele, ou se ele usa isso como uma desculpa. Só que daqui pra lá, talvez eu esteja com alguém, ou não queira mais nada. Por hora não sei o que vou fazer, mas sei que estou muito bem! Será que o senhor poderia fazer as perguntas de novo?
- Você quer que eu as faça?
- Sim. Quero responder agora que estou com a cabeça no “lugar”!
- Então vamos lá. -O beijo era bom?
- Quando não tínhamos preocupações extras, sim!.
- O amasso era bom?
- A mesma coisa. Sem preocupações tudo era bom... Entende o que quero dizer, agora ? O momento nunca nos era propício... E quando foi.. Tenho raiva de mim até hoje. Mas deixemos isso pra lá...
- Oras, você sabe que os detalhes fazem a diferença aqui!
- Hmm.. como explicar, se ele tivesse me dado mais segurança e se eu tivesse mais segurança em mim, o dia teria sido melhor...
- Ok! O papo era bom ?
- Quando ele queria conversar.. (risos)
- A sinceridade ?
- As vezes parecia sincero. Das últimas vezes ele pareceu mais sincero, apesar que as desculpa continuam a mesma.. (cara de besta...)
- Da sua parte ?
- Tentei ser muito mais. Tentei dizer o que queria, do jeito que queria.
- O cheiro ?
- Sempre perfeito. Espero que o vidrinho roxo que ele não sabe o nome, mas eu sei, continue o mesmo.
- O jeito de tratar ?
- Do jeito que ele acha que deve tratar. (risos)
- E o hoje do que sente falta?
- De vê-lo com a freqüência que via... tenho quase certeza que as coisas hoje seriam bem mais diferentes. Mas continua sentindo falta do cheiro, das frases, do francês.. dos passeios que não demos.
- E ainda sente culpa?
. Não. Como diz a minha senhora, tudo tem seu tempo. A menina dos cachos exóticos do ano passado, não é a mesma menina dos cachos exóticos e do sorriso sem metal de agora.
- E então?
- Espero lhe dizer quando voltar aqui.
-Então, até. Essa menina, essa mulher, essa senhora...




•Primeira parte da consulta, aqui: " Por que sentir saudade?"

25 julho 2008

Contagem Regressiva.

Falta 10 dias para o começo definitivo de um sonho!





Bloco G - Sala 806

Roda e Avisa.

Agora pouco passou na Globo, "Por Toda Minha Vida", hoje falando sobre Chacrinha. Estava aqui na net [como sempre!] Porém deixei no espera e fui expandir minha mente culturalmente akaokoakoakoakoakoakokaokao.

^^

Roda, roda, roda e avisa
Que a alegria explodiu no ar
O velho guerreiro sorrindo
Subindo, subindo foi pro céu brincar
Roda, roda, roda que a vida
É um sonho que vai terminar
O bom palhaço não chora
E vai embora sem explicar

Quem vai querer
Abacaxi, banana e bacalhau
Olha a mãe do Russo
E a buzinada do seu Nicolau
Quem reviveu toda alegria do seu carnaval
Alô, alô Teresinha
Ai que saudade do "Cassino do Chacrinha"!

21 julho 2008

A história de uma top.

Joguei vôlei durante 5 anos. Nada profissional, nem nunca joguei tão bem assim, mas não me considero tão ruim. Amooooo³ vôlei, porém, também não sou daquelas torcedoras fanáticas que sabem nome de todos os jogadores das seleções, sabem títulos e coisas do tipo. Não. Simplesmente jogo e gosto de jogar. Ah! Também gosto de assistir...

Daí...

No fim do ano passado [segundo a data das minhas fotos] estava tendo aqui em Recife o Circuito Banco do Brasil de Vôlei de Praia, lá em Boa Viagem. Lá foi eu e Mariana [minha ursa favorita].

Logo de entrada ganhamos um camisão e bandana! Estávamos lá caracterizadas pra assistir ao jogo. Gritaaaamos muito. Nos intervalos dos jogos tinha umas recreações, tipo interação com a torcida, alguns eram escolhidos pra ir lá na areia e tentar colocar uma bola um cone, ¬¬, era engraçado ver os babacas correndo pra tentar pegar a bola. E confesso que se tivesse sido escolhida, teria ido, e seria uma babaca correndo atrás da bola.

Aí não lembro muito bem, mas chegaram mais atletas, que como disse no começo não sei nome, porém sabia o nome de três , Virna *-*, Adriana Behar *-* e Shelda ^^...

Nisso os "recreadores" chamaram todos os atletas e deram uns brindes pra eles entregarem a galera...

Eu sei que de repente quando vejo, lá vem Behar... Nisso eu ponho a gritar no meio a multidão "Behar!Behar!"... E ela encontra a minha voz no meio de todas as outras, meu olhos começam a brilhar, ela começa a esticar o braço pra me entregar a bolinha, alguém tenta pegar, mas ela puxa, balança a cabeça e diz: "-Não. É dela!". *-* Depois chamei-a de novo para assinar minha bolinha. E ela veio... *-*

Ainda ganhei uma garrafinha, e um top de vôlei de praia.

Nisso Mariana [minha ursa favorita] foi embora. E lá ficou Kikinha sozinha... Mas só iria embora no fim, depois de tentar tirar fotos com o povo.

Pois bem, terminaram os jogos e lá fui atrás dos meus autográfos e fotos!

Consegui 4 autógrafos no meu top verde e 3 fotos. Os autógrafos de Virna, Behar, Shelda e um bofe bonitão que não lembro mais o nome. E a foto tirei com as 3.

Já que não iria por pra lavar creio que saí um vez só com o meu top verde. Fui um dia pela manhã jogar vôlei na praia. E não o usei mais. Ficou guardado na antiga bagunça do meu quarto. Juntamente com a bolinha, a garrafinha, a bandana e o blusão.

Mas, porém, contudo...
Ao chegar em casa um dia desses minha mãe olha pra mim, começa a rir e diz:

- Não adianta reclamar!!
-Õ.õ reclamar de quê ?
-Coloquei seu top pra lavar!
-Que top ?
-O...
-MEU DEUS VOCÊ COLOCOU MEU TOP PRA LAVAR !!!!!!!!!!




¬¬





MORAL DA HISTÓRIA : Nunca coloque autógrafos em algo lavável. E se por não deixe perto da sua mãe ou da empregada! ¬¬


Virna e Kika













Kika e Mari



Kika e Mari


Behar e Kika

15 julho 2008

Anéis

What the probleme with me ?
Why everything that I love goes without me ?

Well..
I'm good, now!


Vão se os anéis...
Ficam-se os dedos...

Mas, e se já nos acostumamos com o anel ?
E se tiram ele de você de maneira injusta ?

Como viver sem algo que já faz parte de você ?



...

10 julho 2008

Viciada.

Bom provavelmente passarei um tempinho sem postar...

Por que consegui baixar The Sims 2 Vida de Universitário.

Você deve se perguntar.. e daí ?

Daí que sou viciada nesse jogo...

E eu tenho 3 semanas pra jogar até cansar e disviciar antes do dia 4 de agosto [início das minhas aulas!]

Por isso...

Ficarei devendo posts! =P


Ah!!

Sex and the City is peeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeerfect!

Ameeeeeeei messsssmooooooooooooooo!

Preciso ver o seriado!! Alguém sabe onde vejo ???


~ Love, Sex, Fashion and New York ~


^^




07 julho 2008

Kid Abelha - Como eu quero

Diz prá eu ficar muda
Faz cara de mistério
Tira essa bermuda
Que eu quero você sério...

Dramas do sucesso
Mundo particular
Solos de guitarra
Não vão me conquistar...

Uh! eu quero você
Como eu quero!
Uh! eu quero você
Como eu quero!...

O que você precisa
É de um retoque total
Vou transformar o seu rascunho
Em arte final...

Agora não tem jeito
Cê tá numa cilada
Cada um por si
Você por mim e mais nada...

Uh! eu quero você
Como eu quero!
Uh! eu quero você
Como eu quero!...

Longe do meu domínio
Cê vai de mal a pior
Vem que eu te ensino
Como ser bem melhor...

Longe do meu domínio
Cê vai de mal a pior
Vem que eu te ensino
Como ser bem melhor...
(Bem melhor!)...

Uh! eu quero você
Como eu quero!
Uh! eu quero você
Como eu quero!...

Uh! eu quero você
Como eu quero!
Uuuuuuuuuuhhh!
Uuuuuuuuuuhhh!...

05 julho 2008

Adieu Mon Coeur


Adieu mon coeur
On te jette au malheur
Tu n`auras pas mes yeux
Pour mourir...
Adieu mon coeur
Les échos du bonheur
Font tes chants tristes
Autant qu`un repentir
Autrefois tu respirais le soleil d`or
Tu marchais sur des trésors
On était vagabonds.
On aimait les chansons.
Ç`a fini dans les prisons.
Adieu mon coeur
On te jette au malheur.
Tu n`auras pas mes yeux
Pour mourir...
Adieu mon coeur
Les échos du bonheur
Font tes chants tristes
Autant qu`un repentir...
Un repentir...
Edith Piaf - Adieu Mon Coeur

04 julho 2008

Roubado de uma foto de Eliza!

Sonho a gente só se dá conta dele quando acorda,depois que ele acabou ...E fica aquela vontade da gente sonhar mais um pouquinho... Existem pessoas que são um sonho. Um sonho pelo qual a gente dormiria a vida inteira.Mas o destino vem e nos acorda violentamente...E nos leva aquele sonho tão bom... Existem pessoas que são estrelas. Doces, luzes que enfeitam e iluminam as noites escuras de nossas vidas. Mas vem o amanhecer e nos rouba com toda a sua claridade aquela estrela tão linda... Existem pessoas que são flores. Belezas discretas que alegram o nosso caminho. Mas com o tempo, as flores murcham, e nos enchem de saudade de sua cor e de seu perfume... Existem, finalmente, as pessoas que são simplesmente amor. Um amor doce como o mel de uma flor... que desabrochou numa estrela e que veio até nós num lindo sonho!... E ainda bem que são amor, porque flores, estrelas ou sonhos, mais cedo ou mais tarde, terminam... mas o amor... O AMOR NÃO TERMINA NUNCA.....

'Homem grávido'




Um transexual norte-americano que se converteu há dez anos ao gênero masculino deu à luz uma menina, informou nesta quinta-feira (3) a imprensa dos EUA.

Thomas Beatie, de 34 anos, é legalmente homem, mas decidiu manter seus órgãos sexuais femininos quando fez uma cirurgia estética para retirar seus seios e submeteu-se a um tratamento hormonal. Quando era mulher, ele se chamava Tracy Lagondino.

...



Fonte: Globo.com

03 julho 2008

Que saudade...

"Mas tipo... a música me lembrou de um tempo tão bom. Tempo de colégio. Tempo em que não se tinha preocupação com quase nada. Tempo em que ficávamos juntos quase o dia todo. Tempo em que as brigas duravam tão pouquinho tempo. Tempo em que se dizia mais EU TE AMO. Tempo em que os Eu TE AMO não eram só meus. Tempo de cinema. Tempo de casa de Paula. Tempo de guerra de bexiga d'água. Tempo de guerra de pipoca. Tempo de cartõezinhos dizendo eu te amo, de frases bem melosas e colocando dentro de carro dos outros (e as frases são daqueles tipos q meus alunos escrevem: "Com A, escrevo Amor; Com P, escrevo paixão; com M, escrevo... dentro do meu coração! :P"hehe) e de chorar no meio da rua. Tempo de TOK&STOK. Tempo de muitos planos. Tempo em que se achava que teríamos muito tempo para ser feliz

!Mas temos, né?!


né!!!"
Será que vocês ainda pensam em mim ?

Pensando em te matar de amor ou de dor...

Os ventos que as vezes tiram algo que amamos, são os mesmos que trazem algo que aprendemos a amar.

Por isso não devemos chorar pelo que foi tirado e sim, aprender a amar o que nos foi dado.

Pois tudo aquilo que é realmente nosso nunca se vai para sempre.




"...We only said good-bye with words..."









... eu te espero calada.

02 julho 2008

O Fim dos tempos!

Faz um tempo que não assisto jornal...
O vício da internet, que terminará dentre 1 mês e 2 dias, não me permite tal.
Porém, hoje... estava jantando e assistindo o JN....

E tiiipooooo... Como assim BIAL ???


Mãe joga filha de oito meses pela janela em Curitiba


Rapaz espancado em Sorocaba fala pela primeira vez


Sei lá...

É tão não "intendível".
Tão surreal...

Poxaaaa...
8 moleques bateram no cara, na frente de uma boate, o cara tentou entrar na mesma pra não apanhar e os seguranças da boate empurraram ele de volta.
Como assim ???????????????????????????????????????????????????????????
O que é isso ??????
Pelo amoooor de Deus!
Faz algum sentido ??
Por qualquer motivação que tenha levado a briga, como 8 pessoas batem em alguém ?? Pulam em cima do cara como se tivessem pulando no colchão de casa e NINGUÉM FAZ NADAAA ??????

A história do bebê, tem entrelinhas...

Mas essa têm!
As outras, não muitas...

A menina Isabella.
As crianças nas creches.
Os bebes na Santa Casa de Belém.

Alguém tem alguma explicação pra tamanha insanidade mental.
E o pior é que daqui a um pouco tudo começa a ser "normal"...
Como pode ser normal ????
Isso é total hipocrisia!


P.s.: Isso é só o que vi hoje, e o que lembro!

Happy Birthday Dear Teacher!

Owwwwhhhhhh!!!!!


Ontem [01/07] foi aniver de Teacher Ricardoooooo! *-*

Tão bacaaaaana! Fizemos um surpresinha!!

Foi tão féliz! =DD
A festinha foi só ele, teacher Kátia, Renato e eu!

Adoooooro ²

Eu e Renato enfeitamos a sala [ apesar que ele não viu os balões no teto até um cair em sua cabeça.. ah! nem o quadro enfeitado! ¬¬]

















A idade dele é 4? ...










E acho que ele ão gostou muito do bolo... kkkkkkkkkkkkkkkkk




Foi nãooo! Era a fumaça da vela!!




Bom teacherrrr amado idolatrado salve!salve!

Happy Birthday!!!
Kiss!!

30 junho 2008

Uma história de amor

Alguém assistiu a edição de ontem do Fantástico ?

A primeira reportagem foi simplesmente sensacional!
Um show da vida!

"Conheça a história emocionante de um pai que nunca desistiu de lutar pela felicidade do filho."

É uma lição de moral, de vida, de tudo!

Vale a pena ler!
Ou então assistir, aqui!


29.06.2008

Uma história de amor

No meio de tantos atletas, um homem tem uma missão maior. Seu filho quer participar, e ele vai atender o desejo do filho. A essa altura, você deve estar cheio de perguntas, tentando entender e até acreditar nesta história. Esta é a história de um pai que nunca desistiu de lutar pela felicidade do filho.

Rick é o mais velho dos três filhos de Dick Hoyt. Durante o parto, o cordão umbilical se enrolou no pescoço. Faltou oxigenação no cérebro, provocando danos irreversíveis. Rick não pode falar ou controlar os movimentos de seus braços e pernas. Parecia condenado.

“Os médicos disseram: ‘Livre-se dele. É melhor interná-lo. Ele vai ser um vegetal o resto da vida’. Nós choramos, mas decidimos tratá-lo como uma criança normal. Ele é o centro das atenções e está sempre incluído em tudo”, conta Dick Hoyt.

Rick sempre teve amor, mas ninguém sabia até que ponto ele conseguia absorver e entender o que se passava a sua volta. A escola achava que ele não tinha capacidade de aprender. Os médicos também.

“Mas aí nós pedimos para os médicos contarem uma piada, e Rick caiu na gargalhada. Eles, então, disseram que talvez haja algo aí dentro”, lembra Dick Hoyt.

Cientistas desenvolveram um sistema de comunicação para Rick. Com o movimento lateral da cabeça, o único que consegue controlar, ele poderia escolher letras que passavam pela tela e, assim, lentamente, escrever palavras.

“Ele tinha 12 anos, e todo mundo estava apostando quais seriam as primeiras palavras da vida dele. Seriam ‘Oi, pai!' ou 'Oi, mãe!’?. Que nada! Ele disse: ‘Go, Bruins’, uma frase de incentivo ao Boston Bruins, time de hóquei”, conta Dick Hoyt

Rick participava de tudo. E foi assim que surgiu a idéia de correr.

“Um colega da escola sofreu acidente e ficou paralítico. Foi organizada uma corrida para arrecadar dinheiro para o tratamento. E Rick, através do computador, pediu: ‘Eu tenho que fazer algo por ele. Tenho que mostrar para ele que a vida continua, mesmo que ele esteja paralisado. Eu quero participar da corrida’”, lembra Dick Hoyt. "Eu tinha 40 anos e não era um atleta. Corria três vezes por semana, uns dois quilômetros, só para tentar manter o peso. Nós largamos no meio da galera, e todo mundo achou que a gente só ia até a primeira curva e ia voltar. Mas nós fizemos a prova inteirinha, chegando quase em último, mas não em último. Ao cruzarmos a linha de chegada, Rick tinha o maior sorriso que você já viu. E quando chegamos em casa, ele me disse, através do computador: ‘Pai, durante a corrida, eu sinto como se minha deficiência desaparecesse’. Ele se chamou de 'pássaro livre', porque então estava livre para correr e competir com todo mundo”.

Que pai não faria todo o esforço para levar tamanha felicidade a um filho? Dick começou a treinar, e eles resolveram participar de outras provas. Mas a recepção não foi boa.

“Ninguém falava com a gente, ninguém nos queria na corrida. Famílias de outros deficientes me escreviam e estavam com raiva de mim. Perguntavam: 'O que você está fazendo? Procurando a glória pra você?'. O que eles não sabiam é que Rick é que me empurrava para todas as corridas”, conta Dick Hoyt.

E contra todos, eles foram em frente. Um ano depois, participaram da primeira maratona. Cinco anos mais tarde, veio a idéia do triatlo. Mas, para fazer triatlo com seu filho, Dick Hoyt tinha uma série de problemas para resolver.

Primeiro: equipamento. Não existia nada parecido no mercado. Todo o material de competição teve que ser desenvolvido. E a cada competição, Dick Hoyt tinha que chegar mais cedo para montar tudo.

Mas Dick Hoyt tinha um problema muito maior a resolver para poder fazer triatlo com o filho. Uma coisinha básica: ele não sabia nadar. Mudou-se para uma casa à beira de um lago e foi.

“Nunca vou esquecer o primeiro dia. Eu me joguei no lago e adivinha: afundei. Mas todo dia eu chegava do trabalho e tentava ir um pouquinho mais longe”, conta Dick Hoyt.

Entre o primeiro dia no lago e o primeiro triatlo, foram apenas nove meses. A questão da natação estava resolvida, mas Dick Hoyt ainda tinha mais uma dificuldade pela frente: já fazia um certo tempo que ele não montava numa bicicleta – desde os 6 anos de idade.

O ciclismo é a parte mais difícil para os Hoyt. A bicicleta deles é quase seis vezes mais pesada que a dos outros, sem contar o peso de Rick. Na subida, isso fica claro.

“Ninguém me ensinou a nadar, a pedalar ou a correr como um atleta. Nós simplesmente fizemos. Do nosso jeito”, comenta Dick Hoyt.

Do jeito deles, pai e filho enfrentaram os mais incríveis desafios. O mais impressionante: o Iron Man, no Havaí, o mais duro dos triatlos. São 3,8 mil metros de natação, 180 quilômetros de ciclismo e uma maratona inteira no fim: 42,195 quilômetros de corrida em mais de 13 horas de um esforço sobre-humano.

Dick e Rick venceram a desconfiança. Hoje são queridos onde chegam. Recebem incentivos dos outros competidores a todo instante e até agradecimentos.

“Vocês são incríveis. Obrigada”, diz uma triatleta.

Um rapaz diz que resolveu fazer triatlo por causa deles: "Hoje foi minha primeira corrida e eu gostaria de agradecê-los por serem minha inspiração”.

“É de emocionar, porque você começa a refletir o que tem feito da sua vida”, comenta uma mulher.

“É a parte mais fenomenal do triatlo. É incrível o que esse homem faz com seu filho”, elogia outra mulher.

“Ele é um grande homem. Ele tem coração, é um bom homem”, ressalta um atleta.

Desde 1980, foram seis edições de Iron Man, 66 maratonas e competições de diversos tipos. Pai e filho completaram 975 provas juntos. Jamais abandonaram uma sequer e nunca chegaram em último lugar. Eles têm orgulho de dizer: “Chegamos perto do último, mas nunca em último”. Sempre com o mesmo final apoteótico: público comovido, braços abertos e aquele mesmo sorriso enorme na linha de chegada.

Atualmente, Rick tem 46 anos. Com o movimento da cabeça, escreve no computador frases que serão faladas por um sintetizador de voz. É um homem bem-humorado. “As pessoas, às vezes, ficam olhando para mim. Eu espero que seja porque eu estou muito bonito”, brinca.

Rick formou-se em educação especial na Universidade de Boston. “Não dá para descrever a felicidade no dia da formatura. Foi minha maior realização. Eu mostrei para as pessoas que elas não têm que sentar e esperar a vida passar”, comenta.

Hoje ele não mora mais com o pai. Mora sozinho, com a ajuda de pessoas contratadas para dar assistência. E se você fica dois minutos com Rick, jamais vai esquecer o seu sorriso.

“Ele é muito, muito, muito feliz. Provavelmente, mais feliz do que 95% da população”, afirma o pai, Dick Hoyt, que escreveu um livro e criou uma fundação para ajudar outras pessoas com paralisia cerebral. Hoje o superpai tem 68 anos e impressiona pelo vigor que continua apresentando.

Aos 52, empurrando Rick, conseguiu o incrível tempo de 2h40m na Maratona de Boston, pouco mais de meia hora acima do recorde mundial. Marca excelente para um amador, sensacional para uma pessoa dessa idade e inacreditável para quem corre empurrando uma cadeira de rodas.

“Já me disseram para competir sozinho, mas eu não faço nada sozinho. Nós começamos como um time e é assim que vai ser. O que importa para mim é estar aqui e competindo ao lado do Rick”, afirma Dick Hoyt.

Por isso, eles se chamam “Team Hoyt” – o time Hoyt, a equipe Hoyt. Pai e filho, inseparáveis. Richard Eugene Hoyt e Richard Eugene Hoyt Junior: uma mensagem viva para o mundo.

“Nossa mensagem é: 'Sim, você pode'. Não há, no nosso vocabulário, a palavra ‘impossível’. Esse é o nosso lema. E nós continuaremos com ele até o fim”, garante Dick Hoyt.

Retirado do site do Fantástico.

À uma das minhas leitoras



Quando mais nada resistir que valha
A pena de viver e a dor de amar
E quando nada mais interessar
(Nem o torpor do sono que se espalha)

Quando pelo desuso da navalha
A barba livremente caminhar
E até Deus em silêncio se afastar
Deixando-te sozinho na batalha

A arquitetar na sombra a despedida
Deste mundo que te foi contraditório
Lembra-te que afinal te resta a vida

Com tudo que é insolvente e provisório
E de que ainda tens uma saída
Entrar no acaso e amar o transitório.
Carlos Pena Filho

29 junho 2008

Quase esqueci...


Feliz Aniversário pátú também! ^^

~ A noiva do cowboy era eu além das outras três. ~

só três ?

Hoje o samba saiu procurando você...

Achei que nunca mais ia ter que passar por isso...

Há um tempo não muito distante...
Eu passava março esperando abril...
E quando abril finalmente chegava contava os dias para chegar o dia 18...
E quando finalmente o tão esperado 18 de abril chegava. Eu não podia fazer nada, ou melhor, eu não fazia nada...
Por que ?
Por falta de coragem... não sei ao certo de quê, porém não fazia nada.
Me remoía, queria tanto, poder chegar e falar todas aquelas coisinhas bonitinhas que todos dizem, abraça-lo, e dizer que ele não sabia quão o meu mundo era bom depois que ele tinha chegado, mesmo nunca tendo chegado, ... desejá-lo tudo de bom SEMPRE... mas nunca desejei...
Tá bom. Algumas vezes, em mensagens não assinadas. Ok! Ok! A última eu assinei...
Mas nunca era do jeito que eu desejava que fosse.

Aí um tempo se passou... [e não é muito]
E cá estou, mais uma vez querendo desejar todas as felicidades do mundo à alguém que não posso. Ou melhor posso, mas não devo.

Odeio essas complicações de poder e não poder, de querer e não poder.
Onde está Alberto Caeiro pra simplificar as coisas!

Que sacow!

Bom..

Feliz Aniversário!
Tudo de bom!

Adoro-te... [ mais que imaginas...]


26 junho 2008

O Teatro Mágico - Sintaxe À Vontade

Sem horas e sem dores
Respeitável público pagão
a partir de sempre
toda cura pertence a nós
toda resposta e dúvida
todo sujeito é livre para conjugar o verbo que quiser
todo verbo é livre para ser direto e indireto
nenhum predicado será prejudicado
nem tampouco a vírgula, nem a crase nem a frase e ponto final!
afinal, a má gramática da vida nos põe entre pausas, entre vírgulas
e estar entre vírgulas pode ser aposto
e eu aposto o oposto que vou cativar a todos
sendo apenas um sujeito simples
um sujeito e sua oração
sua pressa e sua verdade,sua fé
que a regência da paz sirva a todos nós... cegos ou não
que enxerguemos o fato
de termos acessórios para nossa oração
separados ou adjuntos, nominais ou não
façamos parte do contexto da crônica
e de todas as capas de edição especial
sejamos também o anúncio da contra-capa
mas ser a capa e ser contra-capa
é a beleza da contradição
é negar a si mesmo
e negar a si mesmo
pode ser também encontrar-se com Deus
com o teu Deus
Sem horas e sem dores
Que nesse encontro que acontece agora
cada um possa se encontrar no outro
até porque...

tem horas que a gente se pergunta...
por que é que não se junta
tudo numa coisa só?




Adoooooro português! =P

Que droga...!
Pra que fui sonhar...
Agora não paro de pensar!
Como pude sonhar com tal... [/diabo]

Ai que vontaaaade... :S

Que raiva!


boboca³

25 junho 2008

Palavra de Mulher - Chico Buarque

Vou voltar
Haja o que houver, eu vou voltar
Já te deixei jurando nunca mais olhar para trás
Palavra de mulher, eu vou voltar
Posso até
Sair de bar em bar, falar besteira
E me enganar
Com qualquer um deitar
A noite inteira
Eu vou te amar
Vou chegar
A qualquer hora ao meu lugar
E se uma outra pretendia um dia te roubar
Dispensa essa vadia
Eu vou voltar
Vou subir
A nossa escada, a escada, a escada, a escada
Meu amor eu, vou partir
De novo e sempre, feito viciada
Eu vou voltar
Pode ser
Que a nossa história
Seja mais uma quimera
E pode o nosso teto, a Lapa, o Rio desabar
Pode ser
Que passe o nosso tempo
Como qualquer primavera
Me espera
Espera
Eu vou voltar



• Apesar do nada que sempre houve...
Apesar de hoje, aqui dentro ser tudo muito diferente.
Ainda acho...
Mesmo não sendo mais necessidade.
Não sei mais o porquê.
Mas acho.
Porém como quem acha sempre está perdido..
Tenho certeza!

"...Pode ser
Que a nossa história
Seja mais uma quimera
...
Pode ser
Que passe o nosso tempo
Como qualquer primavera
Me espera
Espera
Eu vou voltar"
entende?
percebes?
Toujours je t'aime.
Au revoir!

24 junho 2008

À manhê! ^^

Tenho exatamente 20 min pra escrever algo...
E conseguir deixar um post pra você no seu dia!

A
BaH é minha manhê!!
Que hoje está completando 19 anos!

Óóóóó! Õ.õ

E o pior é que agora tenho a missão de tentar escrever algo que ninguém ainda tenha dito. Por que como você disse no tel, chega uma hora que cansa, são as mesmas parabenizações!
Então o que será que posso dizer?!

Já sei!
Em vez de desejar coisas, irei agradecer coisas...
Como assim?!

Assim...

Agradeço por Deus ter te dado a vida.
Agradeço por Deus tê-la colocado em minha vida.
Agradeço por me aceitar assim como sou. E mesmo não gostando de many things que faço, continuas ao meu lado.
Agradeço pelos sábados no shopping.
Pelo dia na chuva.
Pelas horas no msn.
Pelas caronas pra casa. E por ter se disponibilizado a ir comigo na minha primeira vez.... kkkkkkkk calma! Na primeira vez que irei dirigir com minha carteira! kkkkkkkkkk
Agradeço por seres tão teimosa.
Por que se você não fosse teimosa não conversaríamos tanto! kkkkkkkkk
Ah! Obrigada por deixar ser sua psicóloga!
Obrigada por ter sido a primeira [ontem]!!! ;]

Enfim...

Agradeço por teres saúde, amor, inteligência e muitas outras coisas. Que prefiro não comentar. kkkkkkkkk

Ah! E obrigada por me aceitar como filha!!!!


Manhê TE AMO!

Feliz Aniversário!



E aí ?
Ficou bom ?
Espero que sim...


=*


.

23 junho 2008

À meu bebê

Estou a meia hora tentando escrever algo, e já escrevi três inícios de possíveis textos e não consegui gostar de nenhum!
Perdoe-me minha momentânea incapacidade mental... =P
Queria fazer uma coisa diferente, sinto muito.
Então como você já sabe quando não consigo escrever, procuro alguém que consiga, normalmente vou atrás de compositores.. então hoje te dedico esta canção:


Sina Nossa - O Teatro Mágico

Minha senhora,

És de lua e beleza
És um pronto do avesso
És um anjo em verso
Em presença e peso
Atrevo me atravesso
Pra perto do peito teu
Teu sagrado e tua besteira
Teu cuidado e tua maneira

De descordar da dor
De descobrir abrigo
Entretanto amor
Entretanto a dúvida
A música que casou
Com um certo surto que não veio
Há uma alma em mim,
Há uma calma que não condiz...
Com a nossa pressa!
Com resto que nos resta
Lamentavelmente eu sou assim...
Um tanto disperso
Às vezes desapareço
Pois depois recomeço
Mas antes me esqueço

Nossa sina é se ensinar...
A sina nossa é...
Nossa sina é se ensinar...
A sina nossa...

Minha senhora diz:
Bons ventos para nós
Para assim sempre
Soprar sobre nós...




Lindaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!
Feliz Aniversário!
Que você seja muito, mas muito feliz.
Desculpe-me 'certas' coisas...


Lúcia






E que “o pra sempre” não acabe!









Te Amo por demais da conta! ;]


22 junho 2008

Seus problemas acabaram! kkkkkkkkkk

Esse poema, auto ajuda, ou como quiser chamá-lo é simplesmente, perfeito!
Diz coisas tão óbvias, mas que ninguém etende.
Ultimamente pra mim muitas coisas estão "sem sentido"...
Mas quando achei-o sem querer, ontem...
Meus problemas acabaram! kkkkkkkkkkk
Também não é assim, tipo, não é a solução para todos os problemas do mundo. Mas tenho certeza que vai ajudar a muitos verem as coisas de um outro modo. - me -


Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.

Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedida do trabalho?
Terminou uma relação?
Deixou a casa dos pais?
Partiu para viver em outro país?
A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?

Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu. Pode dizer para si mesma que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus amigos, seus filhos, sua irmã, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado. Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco. O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.

As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora. Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem. Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração... e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.

Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se. Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos. Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal". Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará. Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade. Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante. Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira.

Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu própria, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és.

E lembra-te :

“Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão”

(Fernando Pessoa)

21 junho 2008

Outros Sonhos - Chico Buarque

Caaaaaraaaa, Chico é algo assim.. Chico!
Putz.. quem não conhece ?
Mas nunca parei pra ouvir um CD ou algo assim... as músicas que conhecia são aquelas básicas que tocam na Nova Brasil FM a Moderna MPB...
Bom, baixei quinta-feira os dois CDs dele Carioca...
E tipoooo muiiiitoooo bommm! Não pára de ouvir! Estou apaixonada particularmente por duas músicas...



Sonhei que o fogo gelou
Sonhei que a neve fervia
Sonhei que ela corava
Quando me via
Sonhei que ao meio-dia
Havia intenso luar
E o povo se embevecia
Se empetecava João
Se impiriquitava Maria
Doentes do coração
Dançavam na enfermaria
E a beleza não fenecia

Belo e sereno era o som
Que lá no morro se ouvia
Eu sei que o sonho era bom
Porque ela sorria
Até quando chovia
Guris inertes no chão
Falavam de astronomia
E me jurava o diabo
Que Deus existia
De mão em mão o ladrão
Relógios distribuía
E a polícia já não batia
De noite raiava o sol
Que todo mundo aplaudia
Maconha só se comprava
Na tabacaria
Drogas na drogaria
Um passarinho espanhol
Cantava esta melodia
E com sotaque esta letra
De sua autoria
Sonhei que o fogo gelou
Sonhei que a neve fervia
E por sonhar o impossível, ai
Sonhei que tu me querias

Soñé que el fuego heló
Soñé que la nieve ardia
Y por soñar lo impossible, ay, ay
Soñe que tu me querias.

Pages