05 agosto 2009

A primeira herdeira.



Não tenho uma idéia filosófica de definir ao ato de nascer, além do seu sentido óbivio que é, o início. Saimos do ventre quentinho de nossas mães, para começar a viver em um lugar nem tão quentinho, nem tão justo.

Segunda (03.08), uma amiga de longa data teve sua primeira filha, nas verdade todos nós esperávamos um menino, foi isso que a médica tinha dito, mas, pra nossa supresa, era uma menina, uma menina linda que me fez pensar em muita coisa.

Há muito tempo atrás, erámos um grupo imenso de dez pessoas, que virou sete, que virou cinco, que virou.. não sei o que virou.

O caminho para o hospital fez com que eu lembrasse de tudo, das promessas não compridas, das que não quiseram cumprir, dos que estão longe por que tem que estar, e dos que estão por que querem estar, da idéia de união que eu tenho certeza que um dia existiu, e infelizmente não existe mais.

Porém, ao ver a sobrinha dos irmãos que escolhi ter, chorei. Apesar de tudo, estávamos lá, se não todos(o horário não foi dos mais proprícios), mas, estávamos, e o sentimento que existia ali, era o mesmo de sempre. E nessa hora, as coisas boas veem a tona. Lembrei do dia que resolvemos morar juntos em são paulo, ou do dia que brincamos de guerra de bexiga d'água, ou do ensaio para o festival de inglês, as tardes no shopping, o cachorro quente dividido para quatro, as tardes na praia, tudo que nós vivemos e que eu sempre achei que estaria vivo até que a morte nos separasse.

Mas, a guria vai nos fazer ficar juntos, provavelmente não como antes, mas pelo menos uma foto bonita pra mostrar aos meus filhos eu devo conseguir.

3 comentários:

CarOl disse...

Ela é muuuito fofa!!!
Toh na fase "kids" da minha vida!!!
Eu achei muito legal o q vc escreveu, o lance
todo da amizade... Acho q essa menina
veio para uni-la mais ainda, pensa assim!!! bjus

L� disse...

Concordo, esse grupo ficou um tanto indefinido... mas o laço que nos une não é nada indefinido, apesar de estarmos longe...ele estará vivo até que a morte nos separe.
Vc vai ver q no futuro estaremos brincamos de guerra de bexiga d'água, em tardes no shopping, comendo cachorro quente e em as tardes na praia novamente, mas, com os nossos herdeiros...pode acreditar. (^.^)

Érica Neves disse...

Que você tenha falado pela boca de um anjo.

Pages