28 outubro 2009

Anjos e Demônios.


Nem sei por onde começar, sei que mudei toda minha política de fazer a egipícia com ele hoje. Fui pega de supresa. Aquela não era a hora certa. Não pude resistir, branco é um cor que me desconcentra e branco comibinado com verde. Gee.

Fui lá e aquele sorriso caloroso de velhos, nem tão velhos, tempos me fizeram quase babar. Eu sei, eu sei, sou louca. Eu não devia nem pensar em babar. Ele quebra todas as regras que eu mesma fiz. Ele garante minha passagem para o inferno sem direito a escala no purgatório. Mas, eu juro que não consigo.

E lá fui eu, conversas, mãos dadas, cosquinhas, braços dados, corpos juntos, sorrisos, risos, brincadeiras, tremedeira, taquicárdia. E seguindo tudo isso, um anjo e um diabo. Uma mente culpada e uma vontade avassaladora.

Segundo uma amiga, ela leu em algum artigo psicológico que as vezes a gente pensa tanto no próximo, que esquece de si próprio. Ficamos nos privando de fazer coisas que temos vontade, para o bem do outro que acabamos no divã de um psicólogo.

A próxima oportunidade que ele me der, juro que não vou desperdiçar.
Se ele me disser: "Vamos falar sobre nós?"
Eu juro que nem falo.

Um comentário:

Gabriela disse...

nem pense, na hora da queda, puxe ele, pra que ele caia junto, se é que me entendes (:

Pages