17 junho 2009

Absurdo.


O Supremo Tribunal Federal decidiu, nesta quarta, acabar com a obrigatoriedade do diploma universitário para o exercício do jornalismo.
De acordo com o Supremo a exigência do diploma para jornalistas fere a liberdade de expressão, um direito garantido pela Constituição.
O engraçado é que a constituição garante tantas coisas à seus cidadãos, e esse Estado que não pode restringir a liberdade de expressão, pode restringir direitos básicos a esses mesmo cidadãos.
Mas, o que tem a ver diploma com liberdade de expressão mesmo?
Hoje em dia qualquer um pode escrever onde quiser e bem entender, mas isso não significa que essa pessoa tenha qualidade pra interferir na vida de pessoas. Que existe mau exercício da profissão, caro ministro Cezar Peluso, existe sim, como em qualquer outra profissão. Mas, existirá muito mais.
Ah, Sr. Carlos Ayres Britto, o senhor está corretíssimo em dizer: "..que em parte é literatura, arte, muito mais do que ciência, muito mais do que técnica." É realmente muito mais do que isso, por isso mesmo deve-se "fechar" as portas dessa atividade comunicacional. Comunicação não é brincadeira.
Não passamos 4 anos na faculdade simplesmente aprendendo técnicas. Aprendemos ética, filosofia, cultura, música, sociologia, artes, história, entre muitas outras coisas. Enriquecemos nossa bagagem para poder proporcionar as pessoas, algo decente.
Infelizmente, só o ministro Marco Aurélio de Mello, entende a responsabilidade que é carregar esse nome. “Penso que o jornalista deve ter uma formação básica que viabilize a atividade profissional que repercute na vida dos cidadãos”.
Não pensem que nós deixaremos isso assim.



UM MUNDO QUE BUSCA RESPOSTAS,
PRECISA DE JORNALISTAS.

5 comentários:

CarOl disse...

Tbm acho um absurdo o que o STF decidiu!!!
Toh contigo!

Érica Neves disse...

uh! o/
Valeu Carolzinha!

BaH disse...

VIVA LA REVOLUCIÓN!!!

Érica Neves disse...

tá boa no espanhol mesmo né?

CarOl disse...

Vivaaaa!!!
Muy bien chicas!!!

Pages