27 maio 2008

Confusa



Às vezes me sinto perdida,
Não sei que rumo tomar ,
São entraves que sempre encontro
Ao longo do caminhar .
Não sei se ando

Ou se paro,
Não sei se grito
Se calo .
Não sei se ignoro

Ou se atendo ,
Se protesto
Ou se defendo .
Não sei se afasto

Ou se abraço ,
Não sei se construo
Se desfaço .
Meio perdida na confusão do
mundo ,
Meio perdida na confusão de mim ,
Meio perdida na confusão de tudo ,
Meio perdida na confusão sem fim .

* Dividida entre a razão ( que diz não ) e a emoção ( que pede sim ) ... *

[Não foi escrito por mim, mas é tudo que sinto!]

2 comentários:

Rhayssa Lima disse...

Fresta

Em meus momentos escuros
Em que em mim não há ninguém,
E tudo é névoas e muros
Quanto a vida dá ou tem,
Se, um instante, erguendo a fronte
De onde em mim sou aterrado,
Vejo o longínquo horizonte
Cheio de sol posto ou nado
Revivo, existo, conheço,
E, ainda que seja ilusão
O exterior em que me esqueço,
Nada mais quero nem peço.
Entrego-lhe o coração.


(Fernando Pessoa)


hmmmmmmm

Renato Gabarito disse...

0.o

Pages